Ícone telefone

(11) 3851-8411

Ícone telefone

(11) 96306-7414

Ícone horário

Horário: Seg. à Sex. 08:00 as 19:00

Ícone endereço

Av. Parada Pinto, 135 - Vila Nova Cachoeirinha

Ícone telefone

(11) 3851-8411

Ícone telefone

(11) 96306-7414

Ícone horário

Horário: Seg. à Sex. 08:00 as 19:00

Ícone endereço

Av. Parada Pinto, 135 – Vila Nova Cachoeirinha

Tão pequenos e tão temíveis pelos pais. Os insetos podem parecer inofensivos em tamanho, mas sua ação traz consequências negativas gigantes. Observar o bebê sofrer sem saber o que fazer é um grande sinal de impotência. Para você não passar por este tipo de situação, preparamos um conteúdo que vai te ajudar a prevenir e tratar de uma forma mais efetiva a situação.
 
Continue a leitura e salve o seu filho. 

Quando perceber que as picadas são perigosas?

 

Quando você mamãe notar um certo inchaço com uma vermelhidão no local evoluindo para uma ferida, é importante ficar atenta e tomar as devidas providências para não infeccionar e piorar o quadro.

Se o pequeno for atacado por marimbondo, abelha e formiga e você não sabe como lidar com a piora da situação, procure um médico o quanto antes, pois as picadas destes tipos de insetos costumam ser mais graves e podem trazer consequências negativas a saúde do seu bebê.

O que você deve se preocupar bastante é se o seu filho tem alguma alergia. Não sabe como descobrir? Veja no tópico logo a seguir.

Como reconhecer alergia em picadas?


Uma criança alérgica picada apresenta uma vermelhidão na região com dores que vão crescendo e se tornando insuportáveis. Além deste sintoma o problema vai crescendo de uma forma preocupante, pois o bebê pode apresentar as seguintes consequências:
 
- Náuseas
- Vômitos 
- Mucosas na boca
- Problemas respiratórios
 
Esse tipo de situação mexe com as emoções de qualquer mãe. Fica difícil não se sensibilizar e até em alguns momentos apresentar um certo desespero de ver o seu bebê em sofrimento. Mas no tópico a seguir vamos passar algumas dicas de como tratar picadas de insetos em bebês.

Como tratar picadas de insetos em bebês?

 

Picadas comuns

Use compressas com gelo ou panos molhados em água fria e pouse sobre o local afetado. Este tipo de ação alivia a coceira e o inchaço. Procure cortar as unhas da criança com regularidade para evitar que ela se machuque aumentando o risco de alguma infecção. Caso o bebê já tenha se coçado formando alguma ferida por exemplo, use pomadas recomendadas por um pediatra.
 

Casos mais graves

Picadas de abelha, maribondo e vespa costumam apresentar consequências mais graves, pois os mesmos têm ferrões que ficam cravados na pele injetando veneno que pode atacar o organismo. Mantenha a calma e não use instrumentos com formato de pinça que podem injetar mais substâncias no sangue no momento de extração. Tente raspar a área com bastante cuidado. Caso consiga tirar o ferrão, lave o local com água e sabão.
 
Em caso de dores intensas ofereça analgésico previamente recomendado por um pediatra.
 
Você viu o trabalho que dá tratar de uma picada de um ser tão pequeno e que quase não conseguimos enxergar em algumas situações? Leia o tópico a seguir para descobrir como evitar os ataques.

Como evitar picadas de insetos?


Em espaços de muita infestação de insetos, vista a criança dos pés à cabeça para proteger áreas que podem ser os alvos preferidos. O uso de repelentes infantis antimosquitos são ótimas formulas pois não usam álcool, e em sua maioria são aprovados pelos pediatras. Antes de usar procure se consultar para saber se a química presente no produto não vai ser prejudicial a pele do bebê.
 
Este conteúdo foi útil para você? Em resumo veja o que você aprendeu:
- Inchaço e vermelhidão são indícios de uma picada mais perigosa.
- Sentir náuseas e vomitar após o seu bebê ter sido picado é um sinal que ele é alérgico.
- O tratamento em caso de picadas mais comuns consiste em compressas de gelo.
- Em situações mais graves aonde existe ferrão cravado na pele a retirada se faz necessária.
- Uma boa forma de evitar picadas de insetos é vestir a criança com roupas que protejam as áreas vulneráveis e o uso de repelentes infantis antimosquitos. 
 
Imagine quantos pais podem ser ajudados com este conteúdo. Com certeza você conhece algum amigo ou familiar que tem criança pequena que corre riscos com picadas de insetos. Compartilhe no Facebook e divulgue utilidade pública.
 

Dra. Marly Sato

Dra. Marly Sato

Formada pela Faculdade Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia - SP
Especialista em pediatria pela AMB


FALE COM A ESPECIALISTA
Ebook sobre Alergia em Crianças