Ícone telefone

(11) 3851-8411

Ícone telefone

(11) 96065-9978

Ícone horário

Horário: Seg. à Sex. 08:00 as 19:00

Ícone endereço

Av. Parada Pinto, 135 - Vila Nova Cachoeirinha

Ícone telefone

(11) 3851-8411

Ícone telefone

(11) 96065-9978

Ícone horário

Horário: Seg. à Sex. 08:00 as 19:00

Ícone endereço

Av. Parada Pinto, 135 – Vila Nova Cachoeirinha


A fala é a expressão mais comum, automática e primitiva do ser humano. Sem ela a vida em sociedade e família, fica limitada.
 
Tem a escrita, sinais e meios digitais para se comunicar, mas para um bebê que está desenvolvendo todas as áreas do corpo, a fala é um sistema natural e esperado pelos pais para se manifestar. 
 
Quem não se emociona com o filho falando mamãe e papai pela primeira vez!? O coração se desmancha em prantos e explode em felicidade.
 
Descubra neste texto, por que meu filho está demorando a falar. Isto pode piorar na pandemia.
 

Com quantos anos um bebê começa a falar?


Um bebê começa a articular as primeiras palavras a partir de 12 meses (1 ano). Segundo alguns especialistas, o seu vocabulário chega mais ou menos a quatro palavras. Com o avanço da idade, é normal que a variedade e a quantidade de dizeres aumente.
 
Quando chega a 2 anos, é possível a criança formar uma frase, composta por três palavras, por exemplo. Está variedade pode chegar até a 200 palavras, na idade de 3 anos.
 
A seguir, descubra o porque o seu filho está demorando para se comunicar.
 

Por que o meu filho está demorando a se comunicar?


O seu filho pode estar demorando para se comunicar, pois a dinâmica de casa é muito voltada ao silêncio. Talvez, vocês não estimulem muito a conversa em casa e partindo deste ponto, faz a criança ficar cada vez mais reclusa.
 
Mas, se na sua residência a conversa é muito comum e mesmo assim, o bebê continua a ficar mais caladinho, o problema pode estar na pandemia. Isso mesmo. Descubra mais a seguir. Vai fazer todo o sentido.
 
 

Na pandemia, este problema piora?


Na pandemia, o emocional fica mais frágil, as pessoas ficam mais ansiosas, irritadas e depressivas. Pode ser que, um fato isolado de desentendimentos, lamentações e confrontos mais acalorados, podem influenciar negativamente a criança, tornando-a mais reclusa. Neste caso, é importante o auxílio de um profissional de saúde habilitado para avaliar o seu filho.
 

Conclusão

Você como mãe e pai, precisam se esforçar para criar um ambiente de interação entre a família que, estimule a capacidade comunicativa do bebê.  Entendemos que, a característica da família sendo mais próxima do silêncio, é saudável a prática de boas conversas, risadas e brincadeiras, isto contagia o bebê.
 
Se mesmo assim, o baby permanecer sem reação, recomendamos inicialmente marcar uma consulta com um pediatra. A opinião de um profissional deste tipo que, ama cuidar dos pequenos, será um passo essencial para a melhora do seu filho.

 

Dra. Paula Regina Colombi

Dra. Paula Regina Colombi

Formada pela Faculdade Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia - SP
Especialista em pediatria pela AMB
Especialista em Homeopatia pela AMH


FALE COM O ESPECIALISTA
Ebook sobre Alergia em Crianças