Ícone telefone

(11) 3851-8411

Ícone telefone

(11) 96065-9978

Ícone horário

Horário: Seg. à Sex. 08:00 as 19:00

Ícone endereço

Av. Parada Pinto, 135 - Vila Nova Cachoeirinha

Ícone telefone

(11) 3851-8411

Ícone telefone

(11) 96065-9978

Ícone horário

Horário: Seg. à Sex. 08:00 as 19:00

Ícone endereço

Av. Parada Pinto, 135 – Vila Nova Cachoeirinha

O que você faz com o seu bebê de 2 anos quando a birra começa? Temos 5 dicas fáceis para resolver a situação, sem precisar perder a cabeça.
 
Por mais que você fale firme com o seu filho, brigue com ele e até tenta conversar com amor, a birra não para. A vergonha na frente das pessoas que começam a cochichar e apontar para o seu filho aumenta a cada minuto.
 
Você como mãe tenta agir da forma mais correta do mundo, mas parece que o seu bebê nunca está satisfeito com nada e só reclama.
 
Sabe aquela angustia de mãe que está tentando dar uma boa educação, mas não consegue?
 
Um bebê de dois anos está passando por muitas transformações e uma mãe moderna que trabalha, estuda e ainda cuida da casa, não consegue entender o motivo de tanta reclamação.
 
Para você mamãe que precisa de uma solução para ontem, separamos 5 dicas fáceis de como lidar com a birra de um bebê de 2 anos. Confira!
 

1 – Mude de ambiente


Se você perceber que não vai magoar ainda mais a criança o fato de mudar de ambiente é uma estratégia que pode acalmá-la. Geralmente tem alguma coisa no cenário que está incomodando o pequeno e a melhor solução é a mudança de espaço. O choro pode parar e assim, você terá o controle da situação.
 
Mas, e quando o show vira um espetáculo de se jogar no chão?
 

2 – Ignore o show de birra


Quando o bebê está nas paradas do sucesso da birra ele fica cego, surdo e não enxerga um palmo na frente dele, por isso, não adianta dar bronca e pedir para parar, pois, não vai dar certo.
 
A melhor opção é ignorar o show de birra. Deixe-o gritar, gesticular e se jogar no chão. Não ligue para a reação das pessoas e siga em frente com o desprezo.
 
Com o tempo ele perde as forças e acaba se calando. Nessa hora, o momento de chama-lo para uma conversa se faz necessário.
 

3 – Converse de forma franca com o bebê de 2 anos


Chame o bebê de 2 anos para um canto reservado. Fique na altura dele para olhar bem dentro dos olhos e seja bem franca com ela. Diga a verdade sempre e nada de mascarar a realidade.
 
A criança pequena sente quando você está dizendo ou não a verdade. Então, abra o jogo, e seja o mais verdadeiro possível.
 
Não trate o bebê como um ser inferior. Com certeza, ele vai sentir.
 

4 – Demonstre na hora as consequências dos atos da criança


Demonstre o quanto está chateado com as atitudes da criança de forma dura, mas evite grosserias que podem gerar traumas.
 
O equilíbrio nas relações com o neném é muito importante. Ser firme é bem diferente de estar nervoso. A postura deve ser contundente sem descontrole emocional.
 
Existem casos em que o bebê passa do ponto e vai além do berreiro. Saiba mais, como se comportar em casos extremos.
 

5 – Em caso de agressão física contenha o bebê e não volte atrás


Agressão física não pode deixar passar. Contenha o bebê sem o agredir, segurando-o firme, mas evite bater com força para mostrar poder.
 
Mostre a chateação com o ato e não volte atrás. Não demonstre fraqueza e nervosismo, pois, o bebê vai perceber que isto te abala e começa a exercer um poder de controle.
 
Procure não ceder de forma alguma. Evite violência.
 
Espero que tenhamos ajudado os pais a lidar com a birra de bebês de 2 anos, na qual é a fase que geralmente começa. Muitas das dicas passadas neste conteúdo, podem ser aplicadas em crianças mais velhas.
 
Precisa de ajuda para maiores informações? A importância de fazer um exame em seu filho para ver se a saúde dele está andando bem é importantíssimo.
 
Conheça nossas Médicas Pediatras e especializadas na Zona Norte de São Paulo.

Dra. Paula Regina Colombi

Dra. Paula Regina Colombi

Formada pela Faculdade Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia - SP
Especialista em pediatria pela AMB
Especialista em Homeopatia pela AMH


FALE COM O ESPECIALISTA
Ebook sobre Alergia em Crianças